Números mostram que Digimobi veio para ficar

Live final avaliação 750.jpg

Mais de 1 milhão de impressões e cerca de 24 mil novos usuários são alguns dos números obtidos pelo site que centralizou, de 21 de abril a 3 de maio, as buscas do “Digimobi, o maior salão de imóveis do país”. Tudo isso, sem contar os milhares de leads gerados nas áreas de locação e comercialização, produzindo oportunidades de negócios para as 46 empresas associadas à ABMI que participaram do inédito salão digital de imóveis.
Desenvolvido pela ABMI como uma alternativa para movimentar o mercado imobiliário em meio à pandemia, o Digimobi superou amplamente as expectativas iniciais, como revelam os dados citados, a presença na mídia, e as avalições feitas em lives reunindo responsáveis pela organização e participantes do salão.
“Veio para ficar. Foi um grande momento, um grande aprendizado. Em todo meu tempo de ABMI, nunca vi uma situação em que tivéssemos uma adesão tão grande de associados. Só isso já valeu a pena, ou seja, termos quase a totalidade das empresas associadas reunidas num só evento. Independentemente disso, o Digimobi veio num momento em que precisávamos dar um gás em nossas empresas. Deve ficar. Numa próxima edição, é claro, precisaremos ter mais tempo de preparação e uma estratégia bem-elaborada”, avaliou Raquel Trevisan, da Imobiliária Taperinha, de Santa Maria (RS), uma das responsáveis pela preparação do salão digital.
 
“Esforço de equipe” – Para Ricardo Abreu, da Abreu Imóveis, de Natal (RN), idealizador do Digimobi e vice-presidente estratégico da ABMI, foi um instigante desafio, que felizmente teve ótimo resultado.
“O que envaidece a todos nós da ABMI é o fato de ter sido um evento que deu certo. Fazer tudo o que fizemos em apenas cinco dias e tudo dar certo já mostra o sucesso. Era algo que tínhamos imaginado para nossa empresa. Porque víamos que ficar em casa, esperando o coronavírus passar não era a melhor saída para o mercado imobiliário. Então, com a ABMI, colocamos a ideia em prática”, afirmou Abreu na live de avaliação final do salão, ressaltando que a seu ver o evento pode ser visto como um case de sucesso da entidade, “uma ruptura, uma ABMI digital, esforço de equipe, de coração mesmo”.
“Sem dúvida foi muito desafiador. Tivemos várias pedras no caminho, mas conseguimos contornar. Conseguimos pulverizar a divulgação do evento. O que prova que juntos somos fortes”, comentou Carolina Abreu, também da Abreu Imóveis, que, ao lado de Raquel Trevisan, teve forte atuação nos bastidores do Digimobi.
 
Live final avaliação 800 2.JPG

 
O gás que faltava – Para Carol, como é mais conhecida, um dos pontos principais do salão digital foi a união de todos, especialmente dos corretores de imóveis. Segundo ela, o esse engajamento permitiu que muitos deles percebessem que “podem muito mais do que antes da quarentena”. “Esse gás que conseguimos dar nas nossas equipes foi o grande legado do evento”, finaliza.
“Temos de agradecer ao isolamento, que fez a gente se mexer”, afirmou Gustavo Justo, da Justo Imóveis e Negócios, de São Leopoldo (RS), para quem o momento se enquadra em situações previstas no bestseller “Oportunidades Disfarçadas”, de autoria do publicitário e empresário Carlos Domingos, que está no segundo volume.
“Por conta desse momento o Ricardo teve um insight, botou na mesa, a gente agiu e a ABMI está sendo transformada”, completou Justo. “Nós movimentamos o mercado, num momento de marasmo. Provocamos o mar calmo e fizemos onda nele. Era tudo o que precisávamos nesse momento”, destacou, prevendo que, se esse salão realizado às pressas deu tão bons resultados, os próximos serão melhores ainda. “Teremos mais tempo, para captar recursos com patrocínios, planejar melhor”, concluiu.
 
Bom começo – Na live final de avaliação do Digimobi, Marcio Schneider, presidente da ABMI, citou levantamentos parciais sobre leads, que giravam em torno de 4 mil tanto para locação quanto para vendas, destacando ser esse volume um interessante ponto de partida. “Se não se concretizaram, muitos desses leads podem significar negócios futuros. Temos de pensar agora nas próximas edições. Trabalhar todos os aspectos necessários para ampliar os negócios”.
Para Pablo Alejandro Fabián, diretor executivo da ABMI, o sucesso do Digimobi mostra que a entidade está na direção certa, numa época em que é preciso se reinventar com muita rapidez. “O coronavírus”, compara, “aparece neste momento como um grande opressor. Se analisarmos na história, os opressores sempre provocaram a união dos oprimidos. E, quando as pessoas se unem, elas esquecem as diferenças. Se juntam para poder resolver as necessidades. O momento é muito semelhante ao que vive ABMI, que é uma entidade colaborativa por excelência.”
O Digimobi nesta sua primeira edição contou com o patrocínio de Kurole, CredPago e Porto Seguro, e apoio de Zap e CrediPronto. Previsto inicialmente para ficar no ar de 21 a 26 de abril, o salão digital, devido à grande demanda, teve de ser prorrogado até o dia 3 de maio.