ABMI:estatuto para uma entidade ‘fora da curva’

Estatuto 800.JPG

“A nova versão do estatuto, elaborada por diretores e conselheiros, permite que a ABMI funcione sempre ajustada às tendências e necessidades, tanto hoje quanto no futuro, podendo acompanhar as mudanças sempre de forma ágil e dinâmica, sem comprometer seus valores, crenças e sua essência.”

Assim o presidente da ABMI, Marcio Schneider, avalia o novo estatuto que passa a valer para a entidade, montado a partir de um trabalho conjunto de diretores e Conselho Deliberativo.

Um dos alicerces dessa reestruturação, de acordo com Schneider, diz respeito à redefinição dos cargos de diretoria.

“Por ser uma associação muito dinâmica não podemos ter cargos estanques, ou predeterminados. Temos que nos movimentar de acordo com o mercado, mas mantendo aquela estrutura mínima que dê legalidade à associação, de forma a que ela possa estar espelhada no Código Civil e funcione adequadamente. Então, na proposta deste estatuto, pensou-se em algo que contemplasse o futuro da ABMI sem que ficássemos tendo que mudar o estatuto ou não dando real validade aos cargos definidos em cada gestão.

 

“Associação fora da curva” – Para viabilizar essa funcionalidade, a Diretoria Executiva passou a ter cinco cargos eleitos, ficando em aberto a possiblidade de nomeação de até sete cargos, de acordo com a proposta de cada gestão.

Os cargos sujeitos a eleição são diretor-presidente, vice-diretor-presidente administrativo e financeiro, vice-diretor presidente estratégico, diretor-tesoureiro e diretor-secretário.

O vice administrativo e financeiro atua de forma interna, enquanto o vice estratégico deverá ter um olhar externo. Já o diretor-tesoureiro e o diretor-secretário são cargos que podem ficar centrados numa só pessoa.

Outro ponto importante na nova versão do estatuto da ABMI foi, segundo Schneider, o reposicionamento do Conselho Consultivo.

“Tratado de maneira um tanto superficial no estatuto anterior, o Conselho Consultivo passou a ter os poderes necessários para se colocar naquilo que é fundamental à sua existência, ou seja garantir valores e boas práticas que fizeram da ABMI, como define Pablo Alejandro Fabián, nosso diretor executivo, ‘uma associação fora da curva’”.